10 anos

10 anos

Aclamada pelos fãs, Sandy encerra no Recife sua turnê cantando Michael Jackson

 

Como uma brisa leve, Sandy soprou sob a capital pernambucana, na noite dessa quarta-feira (18), os clássicos imortalizados na voz e interpretação de um dos ícones mais importantes da música pop internacional. Em seu show de 1h45 de duração, a cantora de fala branda e gestos suaves deixou o público em polvorosa com sua versão de Michael Jackson. Subiu ao palco ainda bastante travada, chegando a demonstrar até um nervosismo nunca antes transparecido de tal forma em solo pernambucano. A plateia, por sua vez eufórica, parece que conseguiu acomodar Sandy de maneira que ela se sentiu mais à vontade após a terceira ou quarta música.
 
O repertório, que como a cantora fez questão de frisar foi "escolhido a dedo", ficou totalmente a seu favor. Em sua voz, os números mais lentos do rei do pop se encaixaram muito bem, ao mesmo tempo em que foram repaginados para que não ficassem tão melosos quanto o estilo musical de Sandy poderia sugerir. A cantora também não fez feio nas mais agitadas, como “Thriller”, “Bad”, “Billie Jean” ou “Don’t Stop Till You Get Enough”, que ganharam uma versão com pegada mais blues/jazz, disfarçando a falta de soltura da artista para arriscar passos mais elaborados.
A todo momento, Sandy arrancava calorosas salvas de palmas e gritos da plateia, com direito até a fã que invadiu o palco para dar um beijo na artista nos minutos finais do show. Houve momentos bastante aclamados durante a apresentação, a exemplo de quando emplacou "Ben" e "I'll be there". Na primeira, o público parecia estar prendendo a respiração enquanto a cantora executava seus impecáveis agudos, para depois explodir com uma enorme ovação. Bonito de se ver. E, principalmente, de ouvir.
 
Bastante elegante, a intérprete de MJ entrou em cena vestindo calça preta, colete cintilante, luva prateada na mão direita e chapéu, igualzinho a todos os outros shows da turnê. Além das roupas, Sandy fez citações bem sutis das performances de Michael, e até soltou um ou outro gritinho. É nesses momentos que se sente que a cantora poderia ir um pouco além. Ainda assim, ela e banda não decepcionaram. Com montagem de cenário perfeita, figurino e voz impecáveis - apesar de comprometida com um resfriado -, Sandy encerrou no Recife sua turnê de homenagem a um de seus grandes ídolos e também do mundo inteiro.
Fonte: NE10