10 anos

10 anos

Resenha: Sandy – Vivo Rio – Turnê Sim (a.k.a. ode à Sandy)

Foto: Rafael Prevot

Sinto-me como a personagem descrita por Sandy na música “Ele/Ela” – aquela que sempre buscava em tudo um porquê, mas com ‘ele’ bastava estar, sentir e viver. Só que, no meu caso, ‘ele’ é ‘ela’ – a própria cantora. Os minutos que precedem cada show dela são muito reflexivos para mim. Costumo me perguntar o que me move tanto e por que não admito perder uma apresentação sua na cidade. Nunca consigo uma resposta satisfatória, mas tudo faz sentido dentro de mim quando ela entra no palco. Com a Sandy, basta estar, sentir e viver. Estranho, né? Mas é assim mesmo. Coisa de fã bobo.
Tinha vários receios com relação ao show de domingo (21/4), no Vivo Rio, por exemplo. Sandy inventou de estrear uma turnê nova, apoiada em um CD que ainda não existe. Conclusão: uma setlist cheia de covers e apenas duas inéditas, o que faz a apresentação lembrar muito a da turnê precedente. Considerei uma proposta caça-níquel e, em uma análise mais racional, mantenho essa opinião. Mas é Sandy – e com ela meu emocional costuma falar mais alto. Conclusão: achei incrível. Que leve meus níqueis!
Sua carreira conversa muito com a minha vida, desde pequeno. Sua música nova – “Ponto Final” – já nasce como um hino para mim, por exemplo. Identifiquei-me desde a primeira vez que a ouvi, em um vídeo gravado por um fã no show do fim de semana anterior, em Vitória. Já vivi aquela letra e acho um máximo poder cantá-la de maneira tão divertida, cheia de boas sacadas.
Quando Sandy canta “Se Deus Me Ouvisse” – em homenagem ao pai – e “Angel”, da Sarah McLachlan, me emociono com sua interpretação. Tanta coisa passa na minha cabeça! Impossível não lembrar do último show de Sandy & Junior ao ouvir “Angel”. Aquilo faz parte da minha história e, por um lado, é um privilégio poder ouvir minha vida cantada por aquela que considero a melhor cantora do mundo (sim, eu considero! me deixa!).
É sempre assim. Ela costuma calar a minha boca com o show. Todas as críticas e condenações ficam para trás. É um prazer ouvi-la e revê-la. E aí viro o personagem de outra música, aquela que diz “escolho você, com todos seus defeitos e esse jeito torto de ser”.
Vídeos que gravei no show:




SETLIST
Aquela dos 30
Sem Jeito
Perdida e Salva
Ela/Ele
Segredo
Se Deus me Ouvisse (cover)
Pés Cansados
Ponto final
Casa (cover)
Bad (cover)
Águas de março (cover)
All Star (cover)
Idaho (cover)
Angel (cover)
Não dá pra não pensar (Sandy & Junior)
A lenda (Sandy & Junior)
Quem Eu Sou
Escolho você
Saudade
Sim

No comments