10 anos

10 anos

Sandy estreia como jurada do SuperStar e diz que canta músicas de Sandy & Junior para ninar o filho: Ele bate palminha


Recentemente, Sandy voltou a cantar as músicas da dupla que formava com seu irmão, Junior. No repertório está “Maria Chiquinha”, o primeiro sucesso da carreira dos dois. Mas nada de multidão na plateia. A apresentação é exclusiva para Theo, de 9 meses, seu primeiro filho. E o mais novo (e privilegiado) fã da cantora adora o show!

— Theo está numa fase sensacional. Nove meses é muito gostoso! Quando o coloco para dormir, eu canto as músicas de Sandy & Junior e ele bate palminha. É uma graça. Pergunto: “Quem é o filho da mamãe?”. Ele levanta o bracinho. É uma coisa linda — orgulha-se a mãe de primeira viagem, sem esconder a paixão pela cria.
O apego ao herdeiro, aliás, tem sido trabalhado nos últimos dias. Após dedicar-se inteiramente ao bebê, Sandy decidiu voltar ao trabalho. Ao lado de Thiaguinho e Paulo Ricardo, ela será jurada da segunda temporada do “SuperStar”, que estreia hoje à noite. Tomada a decisão do retorno, a cantora agora só vive olhando para o relógio.

— No meu primeiro compromisso com o programa, eu fiquei 13 horas longe dele. O máximo que tinha ficado antes era três. Graças a Deus, quando voltei, ele ainda estava acordado. Doeu muito. Após a estreia, será mais complicado. Serão mais ou menos 18 horas longe. Talvez eu o leve comigo para o Projac (complexo de estúdios da Globo, no Rio de Janeiro). Ainda não decidi — diz a moradora de Campinas, no interior de São Paulo.



Animada por participar da competição musical, que elege a melhor banda da atração, a cantora de 32 anos avisa que aqueles que esperam encontrar uma Sandy boazinha como jurada vão se surpreender:

— Não sou fácil de agradar. Sou bem sincera também. As pessoas da minha família chegam até a se assustar comigo (risos). Não vou aprovar todo mundo. Mas, claro, não gosto de atitude arrogante. Vou tomar cuidado para criticar. É importante que seja construtivo o que falamos no programa.

A cantora sabe que o que diz e faz tem um peso. E já está mais do que acostumada com o burburinho que o seu nome gera. Quando foi anunciada no lugar de Ivete Sangalo no “SuperStar”, por exemplo, choveram elogios e críticas quanto a sua escolha. Mas ela minimiza o que é negativo e valoriza o que é bom. Simples assim.

— Ter um nome forte, conhecido, é ótimo quando a gente quer divulgar um trabalho. Todo artista precisa de notoriedade. Acho bacana que o meu nome tenha esse tamanho e relevância. Por outro lado, é difícil quando inventam calúnias e boatos. Isso espalha de tal forma que fico sem controle para desmentir. É ruim — pondera a artista.


O discurso de Sandy pode soar pronto demais. Ela, porém, faz questão de explicar que, no passado, sofreu com as críticas e com a imagem de menininha idealizada por muitos. Foi a maturidade adquirida ao longo dos anos que a fizeram mudar.

— A adolescência foi o pior período. Foi ali que começaram a surgir os comentários mais acirrados. Estava muito exposta. Fazia shows, o seriado na Globo, novela, era uma loucura. Aí inventavam muitas coisas a meu respeito porque dava ibope. Eu sofria. Também não gostava da imagem de menininha. Era madura para a minha idade e percebia que as pessoas não viam isso. Mas eu aprendi a lidar, a relevar o que não é importante e a aproveitar o que é construtivo — argumenta.

Durante o bate-papo, Sandy mostra que é mais gente como a gente do que muitos pensam. A sua vida, ela faz questão de frisar, é tão normal quanto a de qualquer um. Nada de conto de fadas! Desde fevereiro, ela se mudou para uma nova casa com o filho e o marido, o músico Lucas Lima. A residência ainda não está totalmente pronta e a cantora toma conta dos detalhes finais.

— Sou dona de casa, mas se você perguntar se eu gosto é outra coisa (risos). Detesto! Agora mesmo estou lidando com marceneiros, jardineiros, entregas... Isso já está me enchendo o saco. Sou estressada, fico com mil coisas na cabeça. Apesar de não gostar de tomar conta da casa, as coisas estão caminhando. Ela está de pé (mais risos) — diz a cantora, que faz questão de cuidar pessoalmente de tudo o que diz respeito ao filho: — Tenho babá, mas nem precisaria. Troco as fraldas do Theo, dou banho, coloco para dormir. Nasci para ser mãe. Eu o amamentei até os sete meses. Parei porque ele não quis mais, registra isso. Amamentar foi muito bom.
Xororó, pai da cantora, não esconde a felicidade de ter visto a família aumentar com a chegada do neto. Avô babão declarado, ele não poupa elogios à filha mais velha:

— Qualquer pai quer ver o filho encaminhado na vida e feliz. Eu tenho muito orgulho da Sandy, da mulher maravilhosa que ela é, da mãe carinhosa e dedicada que se tornou. Acho que deu para notar que eu sou avô e pai coruja, né? (risos).


Famosa desde os 6 anos, a estrela faz terapia há 14. Uma forma de se entender melhor e compreender a exposição que acompanha a carreira.

— Estou nesse processo de “desenlouquecer”. O Lucas brinca no meu dia de terapia. Ele fala: “Vai ‘desenlouquecer’, amor?”. Eu digo que sim. Todo mundo deveria fazer terapia. É bom trabalhar os problemas, analisar sua vida. Lido com a exposição desde muito cedo, depois veio carreira individual, casamento, filho... Acho importante. Enquanto a minha analista estiver me aturando, eu continuo — diz Sandy, que não faz questão de esconder os seus defeitos (sim, ela tem!): — Sofro por antecipação. Se eu tenho uma coisa para fazer daqui a um mês, já penso como será. Não queria ser assim. Também sou perfeccionista. Não paro de fazer algo até ficar direito. Até com coisas bobas. Outro dia, pisei no cocô da cachorra e sujei o chão ao entrar na sala. Fiz uma faxina enorme meia-noite. Isso não é bom.

O fato de ter crescido sob as lentes dos holofotes não significa que Sandy deseja o mesmo para Theo. Ela e o marido querem preservar a imagem do filho. Até hoje, os dois nunca divulgaram uma foto do bebê e ela explica o porquê disso:

— A gente tenta evitar mostrá-lo. Ele é apenas uma criança. Eu e Lucas é que somos famosos. Não é uma escolha dele. Theo não é um bebê público. Criaram um estardalhaço sobre isso. Mas eu não saio na rua escondendo o rosto dele. Estive em Orlando (nos Estados Unidos) e lá tem muitos brasileiros. As pessoas pediam foto comigo e ninguém o fotografou. Existe um respeito.


Indagada se deixaria o filho trilhar uma carreira musical tão cedo quanto ela, Sandy faz careta.

— É tão difícil! Eu acho que adiaria ao máximo isso. Mas se for um sonho dele, assim como o meu pai e a minha mãe perceberam que era um sonho meu e do Junior, não ia ter jeito, iria apoiar e ajudar. Meu temor é porque a vida de músico não é fácil. Não é qualquer um que tem uma trajetória como a nossa. A carreira artística tem muita frustração — explica ela, que logo revela: — Vejo que Theo é fascinado por música. Ele é muito agitado, mas para se estiver tocando algo. De fato, é difícil ele escapar disso com o pai, a mãe, o avô e os tios músicos. Mas eu preferia que ele encarasse isso como um hobby.

Vendo a filha e o neto juntos, o sentimento de Noely é de nostalgia:

—Toda mãe sente saudade de quando os filhos eram pequenos. Pegar no colo, cuidar... O lado mágico de ser avó é esse. Você tem a oportunidade de reviver aqueles bons e saudosos tempos. É especial viver essa fase. É inexplicável! Ver a sua filha no papel de mãe é emocionante. Todos os dias que consigo estar perto são preciosos. Estou amando ser avó. Quando me falavam que era bom, eu não imaginava que fosse tanto!


Completando sete anos de casada em 2015, Sandy acredita que Theo veio na hora certa:

— Eu e Lucas tivemos bastante tempo para curtir como casal, fizemos muitas coisas juntos, viagens maravilhosas... Só escolhemos ter um filho quando estávamos preparados. Por isso, fiquei tão feliz quando aconteceu.

Mesmo encantada com a maternidade, Sandy não planeja aumentar a prole tão cedo.

— Se for para ter outro, vou demorar mais um pouco. Apesar de estar curtindo esse momento, eu amo a minha carreira. Quero produzir coisas novas para só depois pensar nisso. Ficaria afastada muito tempo se tivesse mais um filho agora — explica a cantora, que pretende voltar a fazer shows no segundo semestre deste ano.


Com dois CDs e um EP lançados em sua carreira solo, Sandy ainda não sabe como será o seu novo álbum:

— Estou com pouco tempo para um novo projeto. Estava pensando em algo, mas surgiu o “SuperStar”. Acredito que o próximo trabalho, em termos de sentimento, será mais intimista.

Entre as emoções que o último ano reservou para Sandy — além, claro, do nascimento de Theo — o casamento do irmão caçula teve destaque. Junior uniu-se à modelo Monica Benini.

— Foi emocionante. Não segurei o choro. Ver meu irmão casando tão jovem e tão feliz... Eles estão construindo uma história bacana. E eu não esperava ter uma cunhada de que eu gostasse tanto. Não é sempre que acontece — conta.


Para os fãs da dupla Sandy & Junior, uma notícia importante: a cantora não descarta voltar a fazer um projeto com o irmão.

— A gente pensa sobre o assunto, conversamos sobre isso. Mas não temos nada em vista. Talvez um show ou algo para homenagear a nossa história. Não quero dar falsa esperança e criar expectativa, mas não é algo impossível de acontecer. Ia ser divertido — revela a cantora.

A expectativa é inevitável, Sandy! Uma legião de fãs já está na torcida.

No comments